Glossário

# PALAVRA/TERMO SIGNIFICADO
1ABAÇAÍdo Tupi: A'wa-saí significa homem que espreita, persegue
2ABANGUERAhomem antigo em tupi
4ABISSALrelativo a abismo, das grandes profundidades marítimas
5AÇAÍpalmeira denominada Euterpia olaracea M, cujo fruto produz suco pardo-violáceo, muito apreciado para sucos, vinhos, sorvete, etc.
6ACOIMBÉ PARUdo Tupi - medo e aflição
7AISUARITribo indígena extinta do tronco tupi
8AJURICABAtuxaua lendário da extinta tribo dos Manaó
9ALBORaurora, antemanhã, alvorada, arrebol, crespúsculo
10ALIMANAICéu
11AMARUNNome dado às três cobras (senhoras do caos) dos contos pré-colombiano. Termo utilizado na Amazônia para a anaconda. A derradeira fonte do poder, a hidrosfera, personificada pela anaconda (amarun), o que pode quebrar todos os laços de hegemonia, mas contém dentro a própria gênese da destruição e o reaparecimento do Caos
12AMARUN CHACARUNA Amarun (Serpentes sobrenaturais, anacondas mitológicas) + Chacaruna (ponte espiritual). Somente a Chacaruna pode atravessar dimensões da mente ao coração, a partir do presente para o passado ou futuro
13ANACONDAPitão, jibóia (Python molurus) a mesma conhecida como sucuri (Eunectes murinus). Serpente de qualquer espécie que esmaga a sua presa
14ANANATUBAGrupo indígena extinto da região do tapajó
15ANAUÊ MARACA-ÊPsaúdo o poderoso Xamã - dieleto Tupaiú
16ANDIRÁEspécie de morcego (Quiróptero) Amazônico. Rio sob afluente do Amazonas. Andiray, "o rio dos morcegos"
17ANGRA(S)Pequena baía, enseada
18ANHANGÁ COARAGênio maléfico caçador de homens
19ANINGAISSão compostos principalmente pela planta conhecida regionalmente como Aninga. Caracteriza uma paisagem acumulada dessa vegetação e serve de abrigo para muitas espécies
20ANINGASA aninga (Montrichardia linifera) é uma planta herbácea macrófita aquática da família das aráceas que tem cerca de 4 metros
21ANTRÓPODESAnimais invertebrados com quatro ou mais pares
22APAKWA HEKWAPIO outro mundo na crença Baniwa
23APIAKÁTribo da família Tupi-Guaraní, falantes do apiaká, habitavam o alto tapajós com os Tapanhumas
24ARABOUTANOu ybyrapytanga - como os povos indígenas chamavam o pau-brasil
25ARANDIFlauta da tribo Kauá inspirada num pássaro negro
26ARASConstelação austral
27ARAUQUENOGrupo indígena extinto da região do tapajó
28ARIRANHATambém conhecida como onça d’água, lontra-gigante e lobo-do-rio, é um mamífero mustelídeo, característico do Pantanal e da bacia do rio Amazonas
29AROXISítio arqueológico da Amazônia (Serra Aroxi)
30ARREBOLCor de fogo que às vezes o horizonte toma ao nascer e ao pôr do Sol - Sinônimos: amanhecer anoitecer aurora ocaso (Do lat. rubóre)
31ARUAQUEde Aruwak, família linguística de várias tribos da bacia Amaônica, em particular do Rio Negro
32ASSURINÍTambém chamado de Awaeté, Tribo Tupi, falante do dialeto Assuriní, habitantes do rio Canomá, no Xingú
33AUIser luminoso, primeiro homem marajoara (na lenda marajoara)
34AURAantigo Deus adorado pelos índios Tapajós
35AURA MINIKAWantigo Deus adorado pelos índios Tapajós
36AURORAperiodo antes do nascer do Sol (Aurério)
37AYAHUASCABebida alucinógena produzida a partir de plantas nativas da Amazônia: Cipó Banisteriopsis caapi, folhas do arbusto Psychotria viridis. Liana dos Espíritos (Cipó dos espíritos). Do quíchua, aya, significa ‘morto, defunto, espírito’ e waska ‘cipó, traduzido também como ‘cipó do morto’ ou ‘cipó dos espíritos’ (liana). É conhecida com os nomes de hoasca, daime, iagê, santo-daime, vegetal e mariri. É uma bebida psicoativa
38AYAMANCHARE o espírito do medo que surge a partir do vapor da terra. Ele tem qualidades extraordinárias que auxiliam os vegetalistas em seus trabalhos de cura
39AYARÍO grande Xamã da Aldeia Wayana-Apalai
40AYMÁ SUNHÉGênio malfazejo, significa espírito do mal, também conhecido como Sararumá
41AZÃEntidade da mitologia dos índios Hi-merimn
42BAÍRADerivação de Bairy, herói mítico dos índios Kawhiwa Parintintin, que significa a condensação das experiências, tradições e histórias daquele povo tupi
43BANIWATribo indígena Aruak, falantes da língua baniwa, habitantes dos rios Içana e Guaiania
44BANZEIROVortilhão provocado pela desigualdade do leito do rio ou pelo movimento das águas devido a ação de barcos ou objetos de grande densidade
45BARARITribo tapajônica tupinizada no século XVI falantes do arinos, habitantes da região de Alter do Chão em Santarém
46BARÉTribo indígena da Amazônia
47BEIRADÃOTermo utilizado pelos caboclos para designar as margens dos rios. O mesmo que beirais.
49BEIRAISTermo utilizado pelos caboclos para designar as margens dos rios. O mesmo que beiradão
50BENZEDEIRAMulher que cura doenças através de rezas
51BERINGEAreferente ao estilo de bering
52BIJUTambém chamado de Beiju, espécie de bolo arredondado, achatado, de massa de mandioca ralada ou de seu amido (tapioca). É temperado com sal ou com pedaços de castanha
53BÓIA-CICAespécie de cobra que vive na lama, denominação cabocla
54BOIÚNADo Tupi (boi=cobra, una=preta), a grande sucurijú (Eunectes Murinus), cobra considerada a maior do mundo, podendo atingir até 12 metros, tritura mamíferos, aves e peixes por compressão muscular
56BORARItribo indígena extinto da região do tapajó
57BORÉou toré, flautas de duas braças com chochalhos presos nos extremos
58BOTO ROSAdesignação popular dada por Cousteau ao boto vermelho (Inia Geoffrencis), cetáceo Amazônico de comportamento semelhante ao golfinho
59BOTO TUCUXIespécie de boto da região
60BURITÍpalmeira denominada Mauritia vinifera M, cujo fruto revestido de escamas castanho, muito apreciado pela culinária local
61CABOCLO do tupi cariboca, resultado da mestiçagem com do branco com o índio.
63CACURÍarmadilha de pesca em forma de caracol, geralmente feita de talas de bambu e/ou ripas de imbaúba
64CAIÓtranse xamãnico após efeito da alcalóide contido no paricá
65CAIXINHAInstrumento ritmico
66CAMIRANGASurubú rei
67CAMOTINS palavra tupi-guarani que define um vaso ou pote de barro, de grande tamanho, em que os indígenas colocavam o cadáver para enterrar.
68CANÇÃO DOS ESPÍRITOS no ritual de cura parintintin, cada espírito poderia se anunciar com uma canção específica (entoada através da voz do ipají na tocaia), e era respondida pelo ipají que estava fora, que deveria pedir sua ajuda.
69CANINANAcobra mitológica que possui olhos de fogo
70CAPRICHOSOO Boi de Parintins, que defende as cores Azul e Branca. Seu símbolo é a estrela azul, a qual ostenta em sua testa. O Guardião da Floresta, do folclore parintinense, do imaginário caboclo e do lendário dos povos indígenas. Defensor e divulgador da arte do
71CARÃOpássaro negro da Amazônia, possui um canto lamuriante. É representado na dança folclórica das cirandas (Cordões de Ciranda)
72CARAUARÁo Morubixába, Tuxaua da tribo
73CARIBOCAmestiço do branco com índio - mesmo que caboclo
74CARIÚSbrancos - em Tupi
75CARUANISEntidades benéficas
76CAUARÁpersonagem mitológico dos índios barés
77CAUÍMbebida indígena extraída da mandioca.
78CAULIMargila branca
79CAVALO MARINHOO mesmo que cavalo-encantado - Citado por Luiz da Camara Cascudo em seu Dicionário do Folclore Brasileiro. Peixe sobrenatural, em forma de cavalo-marinho. Esse ser lendário habita o imaginário do povo da comunidade do Uaicurapá.
80CAVALO-ENCANTADOPeixe sobrenatural, em forma de cavalo-marinho. Citado por Luiz da Camara Cascudo em seu Dicionário do Folclore Brasileiro. Esse ser lendário habita o imaginário do povo da comunidade do Uaicurapá.
81CAXIRIbebida a base de mandioca
82CERÂMICAarte de fabricação de louças de barro cozido
83CERAMISTApessoa que trabalha em cerâmica
84CHACARUNA Ponte sobrenatural que liga o pajé ao mundo das cobras do caos (Amarun).
85CHILCYmãe dolorosa da tribo xingu
86CINTA-LARGATribo Indígena da Amazônia
87COACYcontraçao de Coaracy, do Tupi (Co-a=claridade ou tempo, Cy=mãe), a mãe da claridade, a mãe do tempo. Personagem da lenda Coacy-beija flor
88COARAÇYo sol no idioma tupi ou nheengatu
89CÓIOesconderijo, refúgio
90CONDOR conhecido como pássaro do sol, encontrado nos Andes, de porte avantajado, coloração preta com colar branco no pescoço, asas com manchas brancas, cabeça, nuca e pescoço nus.
91CONDURItribo tupanizada no século VXI, falantes do condurú, habitavam o Tapajós e o Madeira
92CONTRÁRIOComo é chamado o outro boi - Usado para não pronunciar o nome do rival do Boi Caprichoso
93COPAÍBAOleorresina obtida da seiva de várias árvores do gênero Copaífera, especialmente da copaíba-verdadeira e da copaíba-vermelha; bálsamo de copaíba
94CRINA é um tipo de pelagem presente em certos animais, principalmente equídeos como o cavalo, asno e a zebra.
95CUNHÃmulher
96CUNHÃ-PORANGA (do Tupi kuiã: mulher + puranga = bonita) – mulher bonita. Item incorporado ao contexto do Festival Folclórico de Parintins.
97CURUANAgênios que vivem no fundo dos rios.
98CURUMIMpalavra de origem tupi (Kurumí) - kuru: corpo, e mí: pequeno. Designa, de modo geral, as crianças indígenas.
99CURUPIRAente protetor da floresta (ver sessão lendas)
100DENAQUIÊpersonagem do mítico Karajá, irmã de Imaherô
101DESSANAtribo que habitava a região do rio Uaupés, no noroeste amazônico
102DIANARIconjunto de flautas (macho e fêmea) com as pontas untadas com cerol
103DIRO desumano, cruel, duro.
104DUNUNAWÁa Deusa dos Apalai – A Bela guerreira Cunhã, filha do grande chefe
105EHAY - EHAYDeus (Tupãna)
106ELDORADOEl Dorado, O (homem) dourado em espanhol uma antiga lenda narrada pelos índios aos espanhóis na época da colonização das Américas. Falava de uma cidade cujas construções seriam todas feitas de ouro maciço e cujos tesouros existiriam em quantidades inimagi
107EMBEVECERFicar absorto, enlevado, extasiado.
108EMBIARACaça em Tupi
109ERERÊSmorcegos gigantes
110ERIÇADO ouriçado, arrepiado, encrespado.
111ERUKÊSlargatos
112ESOTÉRICOEnsinamento reservado a poucos
113FABForça azul e branca - Torcida do Boi Caprichoso
114FALANGE na Grécia antiga, corpo de infantaria espartano e macedônio. Qualquer corpo de tropas. Agrupamento de pessoas
115FÊNIXpássaro que resurge das cinzas, símbolo da imortalidade
116FERA XIN-GUguardião do fogo
117FILHOS DO SOLé como são chamados os indígenas da Amazônia, filhos de Coaracy, o sol.
118FRANCESABairro da zona leste de Parintins, predominatemente Caprichoso. Em região baixa, costuma sofrer com as grandes enchentes do rio Amazonas.
119FREGUESIATítulo dado a Ilha de Parintins no dia 28 de junho de 1832, com a denominação de “Tupinambarana”, na então Província do Amazonas.
120FULIGEMsubstância negra que a fumaça produz
121FUROSbraços de água corrente, unindo dois rios diferentes, rio ou lago, ou dois lagos. Sangrando ou sangradouro.
122GALERAComo são chamadas as torcidas dos bois no festival de Parintins
123GAVIÃO KAMATHAWÁentidade mágica dos baniwa
124GINGAmovimento realizado pelo Boi-Bumba na sua evolução, ou por itens individuais quando embalados pelas toadas
125GORÁDeus criador e transformador do povo cinta-larga
126GUAJUPIÁ designa o céu dos escolhidos ou céu dos ancestrais no universo Tupinambá.
127GUANAMBIpersonagem da lenda Coacy-Beija Flor. Nome de uma árvore que deita uma espécie de óleo ou resina viscosa.
128GUARIKAYPoderoso xamn da tribo Hi-Merimn ou Hi-Merimã
129HARPIASgrandes aves de rapina
130HI-MERIMÃTribo indígena isolada da Amazônia
131HIPNÓBATAS refere-se aos sonâmbulos.
132HIXCARIANATribo da família Karib, falantes do Hixkariano, habitantes do vale do Jamundá e Amazonas, herdeiros das Ycamiabas
133HOUAH é um grito onomatopeico para lançamento de feitiço.
134HUKA HUKAluta tribal dos Kamayurá do Xingú em alusão à festa do Kuarup
135HUNI-KUIMguerreiro Kaxinauá
136IABÁO que se diz, o dizer, o dito em tupi
138IACYde Yaci, a deusa-lua para os povos Tupi-Guaraní
139IACY-UARUÁLago Espelho da Lua
140IAMBÉinstrumento ritualístico dos sateré
141IARAmãe d'agua - mesmo que Yara
142IARUMÁde suiá, universo mítico dos Kamaiurá - Xingú
143IBÍTerra em Tupí Mondé
144IBIRAPEMA borduna dos chefes do povo indígena tupinambá. Espécie de clava, massa, tacape feito a partir de maçaranduba, pesada, usada por guerreiros na execução dos cativos, no rito antropofágico da muçuruna. Símbolo de status e lideranças dos principais chefes.
145ICÁentidade sobrenatural sagrada. Possui a forma de morcego
146ICAMIABAmulheres sem seio
147ÍCAROS palavras mágicas, cantos, músicas aprendidas pelo xamã em seções de xamanismo através da ingestão das plantas mestras.
148IGAPÓ floresta alagada. Termo oriundo do tupi antigo e significa “rio de raízes”, da junção de ´y: água, e apó: raiz.
149IGARAPÉdo Tupi, Igara é canoa e Pé écaminho, o caminho das canoas, braço de rio de águas calmas
151IGNÍVOMAQue vomita fogo; que expele fogo de si; que larga chamas ou labaredas de seu interior
152ILHA TUPINAMBARANA ilha fluvial localizada à margem direita do curso médio do Rio Amazonas, tendo como divisor de águas o Paraná do Ramos, o Uarariá e pequeno trecho do Rio Madeira
153IMAHERÔPersonagem da mítica Karajá, irmã de Denaquiê
154INEFÁVELindizivél, que não se pode expressar por palavras
155INERMEdesprovido de meios de defesa, que não está com armas
156INGERAdo verbo INGERAR, que na linguagem cabocla, significa tornar-se ou transformar-se
158INHAMBÉSInstrumento de percussão feito de sementes de inhambé. em formato de cachos
159IPAJÍXamã, pajé, curandeiro parintintin. Atualmente não existe mais nenhum entre o povo parintintin. O rito religioso central dos parintintin é a cerimônia de cura por um Ipají, mas já não é mais praticada. A cadeia de transmissão do conhecimento xamanístico foi quebrada pela morte prematura de muitos xamãs por epidemias
160IPIherói mítico dos Ticuna
161IPIACÁtribo indígena Tupi, falante do Apiacá, habitantes do curso dos rios Juruena e Arinos
162IPOTIRApersonagem lendária das tribos Tupi-Guarani
163IPYOrigem, princípio, a primeira em Tupi.
164IQUARABuraco em Tupi Mondé
165ITARANAflauta tocada pelos índios tupinambás, feita de ossos longos dos inimigos
166IWIKWAR sepultura indígena, jazigo dos índios Tapajós.
167JA’GWAPORA’GWAV bando de onças que, conforme a crença, está nos céus, é visto pelos que têm poderes ocultos
169JAKUÍO zunidor. A flauta dos Juruparis - Xingú. Flauta de duas a quatro braças de cano duplo, maior e menor, usada pelos kamayurá nos ritos, festas, principalmente o Kuarup
170JAVARDO que ou aquele que é grosseiro, mal educado, estúpido.
171JOÃO-DE-PAUutensílio e/ou instrumento de navegação do caboclo amazônida, usado para manter em linha reta o casco e/ou a canoa
172JU’RIJU’RIHUVE’E animal fictício que vive na água, tem forma de onça com pescoço comprido, acredita-se ser uma Ariranha.
173JUMA ente lendário indígena, gigante, caçador de índios perdidos na mata. No lendário habita as serras de Parintins.
174KAGWAHIVA a designação Kagwahiva ou Kagwahiva’nga significa "nossa gente", como se autodenomina o povo parintintin.
175KAÍYfogo no dialeto yanomami
176KAMARÃPIvomitar
177KAMAYURÁtribo da família Tupi-Guaraní, falante da língua kamaiurá, habitantes do Xingú
178KARAJÁtribo indígena dos grupos linguísticos Tupi, falantes do dialeto Karajá, habitantes do rio Araguáia (Ilha do Bananal)
179KARAMANAÉFera do universo mítico Apalai. a fúria da profecia milenar, o flagelo do Deus do Trovão, uma criatura que segundo os índios tinha uma feição personificada de um Mapinguari primitivo, ceifador do juízo final. Ciclope Colossal guarda no seu ventre a temida Serpente, Talaruepé
181KARIWA da língua geral (nheengatu usada pelos missionários para catequização dos índios do Brasil na colonização), homem branco.
182KARUÃNAentidades espirituais de bichos, plantas, encantos e espíritos de antigos, grandiosos pajés ancestrais - Espíritos auxiliares dos pajés, moradores do mundo sobrenatural
183KAXUIANAtribo indígena dos grupos linguísticos Karib, falantes do Kaxuiana, habitantes do rio Jurema
184KAYAPÓtribo indígena do grupo Gê, falantes do kayapó, habitantes da região entre os rios Xingú, Tocantins e Araguaia
185KAYSSUNAbebida alucinógena dos Ticuna
186KUARUPa festa em alusão aos mortos e ancestrais dos Kamauyrás. O tronco ancestral, o rito anual dos mortos.
187KURAKAlíngua de quichua, homem sagrado, lugares sagrados
188KWANDU gavião pequeno e branco, metade exogâmica do povo parintintin.
189LAGO DA VIDAoráculo do Tomo. Cachoeira do Içana que é o centro sagrado para os Baniwa.
190LÔBREGO sombrio, sem claridade, funesto.
191LÚMEN é o fluxo luminoso dentro de um cone, emitido por um ponto luminoso com intensidade.
192MÃE D'ÁGUAa mãe dos rios, a Yara-rainha da Amazônia
193MAIAPENATribo indígena extinta Aruak
194MAICONÃespécie de breu
195MALOCAhabitação tipicamente indígena, grande choça coberta de palhas secas
197MAMAÉEntidade da cosmologia indígena
198MANAÓTribo indígena extinta Aruak
199MANDINGUEIROScasta de feiticeiros dedicados à magia maléfica
200MANIVAmandioca
201MAPINGUARÍente aterrorizante do universo mítico Tupi com forma de cíclope e a boca localizada na barriga
202MARACÁ instrumento musical sagrado feito de cabaça com várias pedrinhas em formatos esféricos em seu interior, usado em sonelidades religiosas, guerreiras e rituais indígenas dos povos da Amazônia. Um tipo de chocalho.
203MARAJOARAnatural ou habitantes da ilha do marajó
204MARIWINpersonagem do universo mítico dos Matis, incorporado pelo Xamã, quando este preside o rito iniciático pubertário das tatuagens
205MARUBIXABADeus bem feitor e protetor da tribo Tariana
207MARUJADA DE GUERRAGrupo rítmico, grupo de percussionistas do Boi-Bumbá Caprichoso. Item oficial do Festival Folclórico de Parintins.
208MATINTA-PERÊRAave de mau agouro conforme a mítica da amazônia
209MATISou Matsés.. Tribo indígena da família linguística pano, falantes do Matis, habitantes dos rios Javari e Itacaí. Se auto-denominam "Gente Onça"
210MATSÉSou Matis. Tribo indígena da família linguística pano, falantes do Matis, habitantes dos rios Javari e Itacaí. Se auto-denominam "Gente Onça"
211MAUARYDeus do bem na mitologia dos Manaó
212MAVUTSINIMentidade mitológica dos índios Kamayurá criador da "festa dos mortos", ou ritual dos troncos Kuarup
213MAWACAem mehinako, significa o mensageiro que traz o canto sagrado e os ritos de povos ancestrais; sugere o caminho pela magia ancestral
214MBARAKA’JArefere-se a onça branca pintada de preto.
215MESMERIZANDOMagnetizando, provocar hipnose através de mesmerismo.
216MIUÁpássaro da fauna amazônica
217MOACARAMaria Moacara, índia guerreira tida como sacerdotisa do povo tapajó, como oráculo xamânico, descrita pelo padre jesuíta, alemão, João Felipe Bettendorff, em 1661, que fundou Parintins no dia 29 de setembro, com o nome de São Miguel dos Tupinambarana em 1669.
218MOANGÁPajé, curandeiro, mandingueiro.
219MONHANGÁexpressão relativa a “Tempo de despertar”.
220MONHANGARIPIO tuxaua (líder) que ocupava o mais alto cargo dentro da tribo extinta Tapajó. Quando falecido, em sinal de respeito e reconhecimento, recebe uma série de homenagens e se torna um monhangaripi, cadáver ressequido. Depois de seco em forma de múmia, passava a ser mantido em local escondido no meio da mata, onde era reverenciado periodicamente pelo pajé e pelos homens mais velhos da tribo
221MORAÇÁUAdo Tupi, significa batalha, guerra grande
222MUIRAGUIGUANAespíritos ou almas que denunciam a morte
223MUIRAQUITÃamuleto amarrado
224MUKAYApoderoso pajé Kaxinauá
225MUNDURUKÂNIAMundo da nação Munduruku, vale localizado entre os rios Tapajós e Madeira. O arquipélago de Tupinambarana, onde situa-se a ilha de Parintins, fica nessa região.
226MUNDURUKUPovo da família e falantes da língua munduruku-kuruana, do tronco tupi. Habitavam o rio Pacajá até Manacapurú no século XVIII; habitam atualmente a Terra Indígena (TI) Coatá Laranjal. Se concentram na Amazônia nos Estados do Pará, Amazonas e Mato Grosso. Kuruaya, habitavam o rio Pacajá até Manacapuru, no Amazonas, no século XVIII.
227MUNÜGAWÉRAmortos-vivos na língua maraguá
228MURATribo indígena da Amazônia
229MYRAKÃWÊRAesqueleto de gente na língua maraguá
230MYTUpássaro mutum: nome de uma metade exogâmica do povo parintintin.
231NHA’GWARUNUHUonça preta no dialeto Parintintin.
232NHIAPERIKULIDeus criador dos baniwa
233NIGROMANTEo mesmo que necromante, bruxo.
234NIRVANAo estado de ausência total de sofrimento, de paz e plenitude, a que se chega pela realização da sabedoria.
235OCAtípica habitação indígena brasileira. Termo oriundo da família linguística tupi-guarani. É uma construção de grandes dimensões e poder chegar até 30 metros de comprimento.
236OCARApraça ou centro de uma aldeia indígena.
237OMÁGUATribo indígena extinta do tronco tupi
238OMAMAO criador para os índios Yanomami
239PACHACAMACDeus da chuva e do vento sul na mitologia andina, personificado de beija-flor. Aquele que deu vida ao mundo, marido de Pachamama (Mãe terra).
240PACHAMAMADeusa, Mãe Terra para o povo Inca.
241PAGUANATribo indígena extinta do tronco tupi
242PAHIGUËGigante em Tupi Mondé
243PAIKCÉScortadores de cabeça - Era como os mundurucus eram chamados pelos inimigos
244PAIKWENÊtribo indígena localizada nos vales da Guiana Francesa, Amapá e porção do Amazonas
245PAITUNARÉcobra que se transformava em homem ao chegar a praia, logo começou a namorar com a filha do pescador, do colono. Aparece para as caboclas (mulheres) em forma de belo cavalheiro nos beiradões e nas festas de interior. Montava um garboso cavalo negro.
246PAJÉdo Tupi “paié” - chefe espiritual indígena, misto de sacerdote, médico, curandeiro e feiticeiro.
247PAJERANAsemelhante ao pajé - sufixo tupi Rana - semelhante neologismo
249PALIKURtribo indígena localizada nos vales da guiana francesa, amapá e porção do Amazonas
250PALMARESBairro da zona sul da cidade de Parintins, predominantemente Caprichoso
251PALMINHAInstrumento rítmico feito de madeira
252PANACÉIAcura de todos os males
253PANEIROutensílio feito de cipó
254PARANTINo remo mágico dos Maué
255PARICÁerva alucinógena, inalado por pajés nas tribos da Amazônia, usado em práticas de rituais indígenas.
256PARIKORÉtribo indígena localizada nos vales da Guiana Francesa, Amapá e porção do Amazonas
257PARINTINENSEaquele que nasce no município de Parintins.
258PARINTINTINgrupo indígena da família linguística tupi-guarani, falantes do Kawahib. Descendente dos "Cabahyba" que habitavam as nascentes do rio Tapajós no final do século XVIII e início do XIX (da serra de Parintins até o rio Madeira), e que constituem um dos grupos designados por Carl Friedrich von Martius como "Tupi Centrais". O nome possivelmente foi dado pelos mundurucu. A maioria da população habita duas Terras Indígenas, no município de Humaitá, no Estado do Amazonas, com população estimada em 418 pessoas até 2010.
259PASSÉSTribo indígena extinta da Amazônia
260PAURÁlimites do município de Parintins que vai da Serra de Parintins, divisa com o Estado do Pará, até o largo do Paurá no Amazonas
261PAVÚCriatura da mitologia dos cinta-larga
262PAVULAGEM pessoa de orgulho próprio. Neologismo originário de pavão, que significa o formoso, bonito, e pomposo e que na linguagem popular tem o significado de "o que gosta de aparecer", ou o fanfarrão.
263PÁVULOTermo utilizado pela população de Parintins para designar uma pessoa esnobe. Gíria: metido, fanfarrão
264PENACHOpenas - atado de penas que se traz no chapéu por adorno ou insígnia - molho de penas usada pelos chefes
265PERRECHÉQualidade de uma pessoa que não é recomendável; pessoa inconveniente. Na gíria: ''Caboclo do pé rachado''
266PINDOVA’ÚMI’GAtambém recebe o nome de Mbirova'úmi'ga, o poderoso ancestral chefe/xamã na cosmologia parintintin, criador da Gente do Céu (Yvága’nga). Aparece aos xamãs em suas cerimônias. Na narrativa mítica, vai sucessivamente ao céu, ao rio, no subsolo e ao interior de uma árvore, encontrando-os por, respectivamente, muitos espíritos, peixes, fantasmas e abelhas.
267PIRACEMAfenômeno provocado pela migração dos peixes que sobem os rios para a desova
268PIRANHAespécie de peixe carnívoro dos rios e lagos da Amazônia.
269PORÁo juruparí, o que vive em algum lugar (Tupí)
270PORAHDeus criador e transformador das tribos Palikur, Paikwenê e Paricoré
271PORANTIMremo mágico sagrado dos sateré-maué
272PORAQUÊPeixe da Amazônia com descarga elétrica - Peixe Elétrico
273PORONOMINAREclã do povo baré. Da lenda Poronominare: dono da terra, do céu e dos.
274POROROCAdo tupi, poro'roka, de poro'rog, estrondar. Fenômeno natural produzido pelo encontro das correntes fluviais com as águas oceânicas. Com ruído estrondoso, sobe impetuosamente rio acima.
275PORRETA palavra que designa boas qualidades, tais como: bom ou muito bom.
276POVILHOpó extraído da mandioca
277PSICODÉLICOAlucinado
278PURASSISSÁNAa árvore taquara purassissáua de onde se extraia a madeira para as flautas
279QUIMERAMonstro fabuloso, fruto da imaginação, da fantasia: fantástico, fictício, utópico.
280QUIMÉRICOQue é fruto da imaginação, da fantasia: fantástico, fictício, utópico.
281RAÇA AZULTorcida do Boi Caprichoso
282RAPÉ tabaco moído, inalado, é usado como alucinógeno nos rituais indígenas.
283REBOJOmovimento de rotação em espiral causado por queda de cachoeira, remoinho. remoinho de água que se forma no mar ou no rio e leva coisas para o fundo. Como em um vortilhão. Quando algum objeto ou pessoa cai no rebojo, vem à tona, rodando, antes de desaparecer.
284REGOUGO som emitido pela voz das ariranhas.
285REMI MOHANGA JURUPARIO anjo do mal está solto em Tupí
286REPIQUEInstrumento rítmico da Marujada de Guerra
287RITUALcelebração indígena
288ROCARInstrumento rítmico da Marujada de Guerra
289ROJÃOFogos Foguete
290RUDÁDeus do amor em tupí
291SA RI PÉluva da tucandeira
292SACACAação ou pratica de bruxo, feitiçaria
293SARAPÓpeixe da família dos Gimnotideos, encontrados em quase toda a América do Sul
294SARAUÁDeus maléfico e conquistador da tribo Tukano
295SATERÉ MAWÉtribo indígena do grupo Tupi, falantes do dialeto Mahué, habitantes dos rios Mawé-Açú e Mawé-Mirim até o Paraná dos Ramos. Cultivadores do guaraná
296SERRA DE PARINTINS localiza-se a margem direita do rio Amazonas, na divisa com o Estado do Pará, com 152 metros de altura, segundo o geógrafo francês Paul Le Cointe. Serviu de posto de fiscalização de embarcações que trafegavam entre as províncias do Amazonas e Pará.
297SOCÓave da família dos ardeídeos que vive nas margens de rios e lagos. Se alimenta de peixes, moluscos, anfíbios e répteis. Permanece imóvel, esperando sua presa
298SOLAPOcavidade dos barrancos dos rios e igarapés por baixo das raízes, onde os peixes se abrigam
299SOLIMÕESnome do rio Amazonas que começa nos Andes até o encontro das águas
300SUIÁpersonagem do universo mítico da tribo Kamaiurá
301SURDOInstrumento rítmico da Marujada de Guerra
302TABAoca, maloca, a casa do índio, aldeia de índios
304TAINACANestrela das manhãs. Personagem do universo mítico Karajá. Tainá=estrela, can=das manhãs
305TALARUPÉa cobra feiticeira das entranhas da Fera
306TAMBAQUINome comum a vários peixes caracinídeos dos rios do Amazonas e mais particularmente à espécie Colossoma bidens
307TAMURÁTambor indígena
308TAMUTÁtipo de tambor indígena
309TANDAWÚ do imaginário Parintintin, quimérico filho temido de Baíra, dono das feras abissais, o terror dos Parintintin.
310TAPAJÓ índios extintos que habitavam as margens do importante rio localizado entre os estados do Mato Grosso e Pará. O nome deu origem ao nome do rio Tapajós.
311TAPIOCAMassa extraída da mandioca
312TAPIRAIAUARAser mítico lendário da Amazônia
313TAQUARAbastão de ritmo. É um instrumento preferencialmente feminino, bastão de compasso. Confeccionado a partir de uma vara de bambu. Usado para macar o ritmo, pode ter na sua extremidade supeior, maracás ou enfeitados com guizos
314TARUBÁbebida indígena a base de mandioca
315TARUMÃTribo indígena extinta do tronco tupi
316TAUÁSespécie de canoa de tribo indígena (igarité)
317TAUATÓave da família das falconídeas, espécie de gavião
318TÁWAPAYÊRAAldeia Mística em Nheengatu
319TEMERÁRIO que contém certo risco: arriscado, perigoso.
320TERAPSÍDEO Therapsida (aportuguesado para terapsídeos ou terápsidas), é um clado da classe Synapsida, tradicionalmente referido como ordem. Os terapsídeos são os ancestrais dos mamíferos.
321TETCHIíndia nativa dos Ticuna
322TISNARManchar de preto; enegrecer; macular, sujar
323TOCAIA KAGWAHIVA cerimônia de cura através de ervas e transcendência do Pajé Ipají da tribo Parintinrin.
324TORÉSou toré, flautas de duas braças com chochalhos presos nos extremos - gaita de Xtaquara
325TROCANOinstrumento de percussão usado para comunicação entre as tribos. Os sons produzidos com os golpes dos trocanos podem alcançar uma distância de 10Km
326TRUDAvisão aterrorisante dos Xamãs após o uso do paricá. Ser sobrenatural que habita a dimensão dos mortos (Tupi)
327TUCANDEIRAformiga amazônica (Paraponera clavata) cuja picada é muito dolorosa
328TUCUMÃFruto do Tucumãzeiro, palmeira da Amazônia, cujo fruto, com sabor salgado, se preparam vários pratos típicos da região
329TUCUPÍinsumo extraído da mandioca
330TUPÃdesignação Tupi do trovão, usada por alguns missionários para se referir a Deus
331TUPÃ MONGUETÁ ABÁ RECÊRogo a Deus pelas tribos e por alguém (tupi)
332TUPAIÚ Antiga aldeia dos índios Tapajós, tupanizada no século XVI, falante do dialeto dos arinos, habitavam os rios Uniniuá e Abiariuá
333TUPANA RANEÁDeus nos ajude em Tupi
334TUPITronco cultural que aglutina os índios das famílias linguísticas Guarani, Araquem, Juruna, Mondé, Munduruku, Ramarama, Tupari, Aweté e Mawé, habitantes da América Latina.
335TUPI-GUARANIFamília linguística do povo parintintin. Do tupi, abaixo de Deus (Tupã) e Guarani (Guerreiros). Daí advém tupi-guarani.
336TUPINAMBÁtribo indígena do grupo Tupim falantes do tupinambá, andarilhos, habitavam costa Atlântica do Brasil no séc XVI e no arquipélago das Tupinambaranas, a Ilha de Tupinambarana (AM) onde está localizada a cidade de Parintins. Seus descendentes, 40 famílias foram oficialmente reconhecidas pela FUNAI em Olivença, no Nordeste.
337TUPINAMBARANA nome dado pelo padre alemão João Felipe Bettendorff quando fundou Parintins na aldeia de tupinambarana em 1669. É uma derivação da junção de tupi: verdadeiro, nambá: corruptela de nembá + rana: falso. Nome dado as tribos extintas de Parintins: parintim, parauenis, parintintim, patuarana, paraviana, sapópé e tupinambarana.
338TUXAUAchefe da tribo, cacique ou morubixaba
339TUYABE-CUÁ XIN-GUpedra de nefrita gravada com segredo do fogo
340UAKTIser grandioso que vivia próximo a aldeia dos índios tucanos
341UARITIWÊser mítico do lendário yanomami
342UIRAPURUPássaro da fauna amazônica (Cyphorhinus aradus) Seu nome vem do Tupi-guarani wirapu`ru - É cercado de lendas graças ao seu canto, considerado um dos mais belos do mundo.
343UNANKIÊ Choro, lamento na língua Yanomami.
344URUAPEARAUruá(caramujo) Peara (chefe)
345URUCUfruto do urucuzeiro - de sua polpa se extrai uma substância tintorial de cor vermelha (pintura de artefatos, peças de algodão e corporal)
346URUCUMACUAMGruta de diamantes em Tupi Mondé
347UTOPIAquimera: fantasia
348VALDIR VIANA saudoso habitante de Parintins que morreu aos 92 anos e foi homenageado pelo Boi-Bumbá Caprichoso no início da década de 1990, com a toada “Missionário da Luz”. Filho de Parintins, seus feitos como curandeiro e de milagres lhe tornaram conhecido no Brasil.
349VILA BELA DA IMPERATRIZ nome de Parintins quando elevada à categoria de vila e município em 1852.
350VILA NOVA DA IMPERATRIZum dos nomes dados à antiga Parintins, quando da sua fundação
351VILA NOVA DA RAINHAdenominação de Parintins em 1798, dada pela coroa portuguesa, quando da sua fundação.
352VITÓRIA-AMAZÔNICAo nome científico dado à planta Vitória Régia.
353VITUPERAR Insultar: proferir ofensas e insultos.
354WÃKÃNTINpajé amaldiçoado
355WÃNKÕreferente à lenda da WANKÔ-FIANDEIRA, aranha mítica dos Palikur.
356WÃNKÕ-FIANDEIRAaranha mitológica dos palikur
357WAYANA-APALAIOs índios Wayana-Apalai, são uma combinação de duas tribos distintas que se fundem, devido à miscigenação e sua localização próxima a região dos rios Maicuru, Paru do Leste, Jari, e ao norte do Pará. Ambos os grupos são falantes do grupo linguístico Carib
358WIRACOCHA ou Viracocha: Literalmente, espuma do mar. Reconhecido por todos os povos do sul do Andes como o criador do universo (Deus imperador dos Incas, professor do mundo).
359WYRA vôa, voar na mitologia Andina; animal em Tupi Mondé
360XABONO casa comunitária típica dos Yanomami.
361XAMÃ Curandeiro, bruxo, feiticeiro da tribo, o pajé. Aquele que evoca os espíritos, que pratica xamanismo.
362XAMÃNICOsacerdote ou feiticeiro, mágico
363XAMANISMOsistema religioso de certos povos e tribos baseado na crença nos espíritos, no culto da natureza e em práticas terapêuticas ou de adivinhação, tais como o transe e o êxtase
364XAPERIPÊS espíritos protetores dos Yanomami.
365YAÇÃNAo pássaro da lua (tupi)
366YANESHA a comunidade Amuesha tem como autodeterminação o nome "Yanesha". Sua localização é atualmente no afluente do alto Palcazú, Yurimaguas e outros afluentes do rio Perene Quillazú (Oxapampa), Yarinacocha (Pucallpa), Rio Ucayali (Pucallpa).
367YANOMAMI índios que habitam a fronteira entre os estados do Amazonas, da Serra de Surucucú em Roraima, e parte da Venezuela, pertencentes a família linguística Yanomami, Sanumá, Ninam, ou Yanoman.
368YBYRAPYTANGAou araboutan - como os povos indígenas chamavam o pau-brasil
369YO`Iíndio da mitologia Ticuna
370YPIíndio da mitologia Ticuna
371YUHUARANonça vermelha ou suçuarana no dialeto Parintintin.
372YURIMÁGUATribo indígena extinta do tronco tupi
373YUU TSÊGArito de iniciação feminino; festa da pelaçãol festa de moça nova
374YUXINSentidades sobrenaturais no ritual de iniciação xamânica dos índios Kaxinauá
375YVÁGAN’GA Gente do Céu criada por Pindova'úmi'ga (ou Mbirova'úmi'ga), o poderoso ancestral chefe/xamã.
376ZARABATANAUma das primeiras armas inventadas. Tubo comprido de madeira através do qual se pode soprar um dardo ou pelota de barro envenenados

Festival 2018: 29 e 30 de junho, 01 de julho


ASSOCIAÇÃO CULTURAL BOI-BUMBÁ CAPRICHOSO

ORGULHOSAMENTE CABOCLOS DE PARINTINS, DO AMAZONAS, DO BRASIL

Parintins: Rua Silva Meireles, 1645 - Centro
69.151-280 +55(92) 3533-4676

ACBBC © Todos os direitos reservados - boicaprichoso.com