NOTÍCIAS

Na busca pelo tri, Caprichoso exalta figuras femininas

‘Um canto de esperança para Mátria Brasilis’ foi a escolha do bumbá para a apresentação das três noites do Festival

29 de junho de 2019 Parintins Amazonas Terra Folclore Geral




Um boi maior que nos dois anos anteriores. Essa é a visão que os torcedores têm ao se deparar com as alegorias já posicionadas nos arredores do Bumbódromo. Em número de brincantes, o Caprichoso também vem maior: serão mais de 2.500 pessoas se apresentando e defendendo as cores azul e branco na arena.

1ª noite – ‘Mátria Brasilis: do caos à utopia’

A primeira noite do Caprichoso será o resultado de anos de estudos e pesquisas, onde o boi apresentará um mundo que tem princípios femininos.

A primeira alegoria ‘Yebá - A Deusa Brasilis’, do artista Lenilson Bentes traz o apresentador Edmundo Oran e surpresas no item Marujada de Guerra. Essa abertura, ilustra a vontade de uma deusa índia, uma mulher que cria o mundo conforme seu pensamento. Antes disso, tudo era escuridão, caos.

Na sequência, será apresentado o item Lenda Amazônica (‘Mura-Pirahã – Três preces de esperança, do artista Carivardo). A alegoria se transformará completamente aos olhos do público e vai trazer a cunhã-poranga Marcielle Albuquerque como luz da esperança.

Pai Francisco, Mãe Catirina, Gazumbá e os itens amo do boi, Prince do Caprichoso e sinhazinha da fazenda, Valentina Cid são os próximos a entrar em cena. A exaltação folclórica celebrará a ‘Festa de um boi brasileiro’. Aqui, fazendo alusão ao período colonial, apresentará na dramaturgia as lembranças que cicatrizaram diversas etnias e que da dor, formaram a cultura popular brasileira.

A figura típica regional irá homenagear ‘O Mateiro da Amazônia’, apresentando a alegoria do artista Alex Salvador. Será representado neste momento, o povo que busca na floresta, com respeito, a cura de todos os males, exaltando aqueles que vivem uma relação de religiosidade com a natureza.

‘Yanomami, a cura da Terra’, do artista Jucelino Ribeiro, defenderá o item de número 4, ritual indígena, apresentando o caos da natureza.

“É muito importante aprendermos a lutar e defender a nossa terra-mãe que é muito generosa e cuida de nós com alimentação, água, saúde. Estou muito emocionado por ser chamado para contribuir com vocês, trouxe a força do pajé. As autoridades não pensam no futuro, destroem a terra e sujam os rios”, explicou o membro da ONU, o pajé yanomami Davi Kopenawa, uma das surpresas azuladas para este Festival.

Nas duas últimas noites, o Caprichoso apresentará ‘No braseiro da fé, esperança é minha luz’ e ‘O Brasil que a gente quer reinventar’.

LEIA TAMBÉM

29/6/19 Caprichoso mostra superioridade, boi técnico e emocionante na primeira de apresentação

“Do Caos à Utopia”. Essa foi narrativa do espetáculo apresentado pelo Boi Caprichoso


24/6/19 Fé e emoção marcam chegada de alegorias do Caprichoso na concentração

A primeira alegoria levada para a concentração do Bumbódromo foi o módulo, com Nossa Senhora do Carmo, do artista Makoy Cardoso


24/6/19 Boi Caprichoso festeja São João e leva multidão às ruas de Parintins

Uma multidão tomou conta das ruas de Parintins para brincar com o Boi Caprichoso


23/6/19 Boi Caprichoso recepciona caravana do Movimento Marujada

Reforço saiu de Manaus para a disputa do 54° Festival de Parintins


22/6/19 CDC festeja 11 anos em festa temática no curral Zeca Xibelão

Durante o aniversário do grupo, vão subir no palco convidados como itens oficiais, os ex-itens, Júnior Paulain, Karla Thayná, Thainá Valente e Waldir







Festival 2020: 26, 27 e 28 de junho



ASSOCIAÇÃO CULTURAL BOI-BUMBÁ CAPRICHOSO
Todos os direitos reservados - boicaprichoso.com